A energia do presente o do futuro no Brasil!


A conferência BRASIL SOLAR POWER 2017 apresentou uma programação bem elaborada e o Brasil está definitivamente em boa posição para um forte crescimento nos próximos anos.

Uma pesquisa coordenada pelo INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) indica que o Brasil tem um grande potencial de energia solar não explorada no chamado Cinturão Solar, uma área que atinge do Nordeste ao Pantanal, incluindo o norte de Minas Gerais, sul da Bahia e norte e Nordeste de São Paulo.

O reserch é baseado em informações coletadas por 17 anos. Os dados mostram a quantidade e disponibilidade de radiação solar, a amplitude do poder do relâmpago e a influência da topografia na incidência da luz solar.

A pesquisa é compilada na 2ª edição do Atlas Brasileiro de Energia Solar e será lançado em breve e poderá ser baixado da página inicial do INPE.

O SEBRAE, durante as próximas semanas, divulgará toda a pesquisa que pode ser baixada de sua página inicial sobre a Cadeia de Valor da Energia Solar Brasileira.

O estudo mostra que a cadeia de valor do segmento de energia fotovoltaica representa um mercado com enorme potencial para pequenas empresas nas próximas décadas e que no Brasil, até 2030, o segmento deverá gerar quase 3 milhões de novas vagas diretas e indiretas, principalmente em Geração de micro-energia.

O Sebrae identifica 20 nichos diferentes neste segmento, tais como integradores de sistemas fotovoltaicos, vários serviços de consultoria e assessoria (ambiental, legal, fiscal, terrestre, financeiro, avaliação de recursos solares, técnicos / engenharia e treinamento), certificadores, serviços terceirizados e empresas de manutenção.

Em 2040, a energia fotovoltaica deve representar 32% da matriz elétrica brasileira, movimentando quase R $ 15 bilhões por ano, de acordo com dados da Bloomberg. Atualmente, a participação da fonte solar na matriz energética brasileira representa apenas 0,02% do total produzido no país.


Posts Em Destaque